Política

Brasil defende acordo global e prorrogação de Quioto na COP17

 

A ministra do meio ambiente, Izabella Teixeira, disse hoje que o Brasil está disposto a negociar um tratado legal e obrigatório de redução nas emissões de gases do efeito estufa para todos os países.

A declaração foi dada durante a Conferência do Clima (COP-17), em Durban, na África do Sul, onde a ministra também defendeu a prorrogação do Protocolo de Quioto.

Um acordo global é uma das condições exigidas pelos países desenvolvidos para assinar o segundo período de comprometimento do Protocolo de Quioto, que tem validade até 2012.

“O Brasil trabalha com afinco para a adoção de um segundo período de compromisso para o Protocolo de Quioto e o fortalecimento da implementação da convenção em curto, médio e longo prazo, disse a ministra.

“Se todos trabalharmos juntos, poderemos negociar o mais cedo possível um novo instrumento legalmente vinculante, baseado nas recomendações da ciência que inclua todos os países para o período imediatamente pós 2020”, completou.

De acordo com o portal UOL, o negociador dos EUA, Todd Stern, disse mais cedo que o país aceita um acordo legal pós 2020.

O maior problema, no entanto, é esse acordo ser obrigatório e ter de passar pelo legislativo do país.

A China também demonstrou aceitar uma negociação de metas para este período.

Já a Índia, que ainda diz não ter condições de assumir obrigações, se mantém como o principal entrave.

Em um texto com proposta para o acordo de longo prazo, os países desenvolvidos deveriam assumir o corte de 25% a 40% na COP-18.

Com informações do UOL.

Leave a Reply