Política

Dilma defende a aprovação da segunda rodada do Protocolo de Quioto

Enquanto representantes de diversos países participam da 17ª Conferência das Partes na Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre Mudança do Clima (COP-17), em Durban, na África do Sul, a presidenta Dilma Rousseff defendeu hoje (6) a aprovação do segundo período de vigência do Protocolo de Quioto.

“Estamos realizando a 17ª Conferência do Clima e gostaríamos de que lá fosse aprovada a segunda rodada do Protocolo de Quioto. Essa é a posição do Brasil e nós considerávamos que isso seria essencial”, disse Dilma, em discurso durante a cerimônia de entrega do Prêmio Jovem Cientista, no Palácio do Planalto.

O Protocolo de Quioto foi o primeiro acordo global para reduzir as emissões de gases de efeito estufa no mundo. O primeiro período de compromisso, estabelecido pelos países, vai de 2008 a 2012.

A presidenta disse também que esperar uma decisão “adequada” da conferência sobre a questão do clima. “Em Copenhague [sede da Conferência do Clima em 2009] tomamos a iniciativa de reduzir as emissões de gases de efeito estufa no horizonte de 2020 para 36% a 39%. Estamos vendo uma situação um tanto problemática nessa área, do ponto de vista das decisões tomadas em Durban. Esperamos que isso não aconteça e que, de fato, Durban tenha uma decisão mais adequada sobre a questão do clima.”

Yara Aquino
Repórter da Agência Brasil

Leave a Reply